15.9.09

Declaração

Como um gato, sinuosa e suavemente ele se aproximou, disse o meu nome num sussuro e me deu o beijo mais macio que a minha boca já provou.
Tão gentil... como se um movimento mais brusco pudesse desmanchar a magia que se instalava entre nós...
Tão profundo e hipnótico, nosso olhar se encontrou como imã, e assustado se desviou, como se prolongado fizesse com que nos perdessemos de nós mesmos, dentro um do outro.

Tenho medo de achar que eu sei o que é isso. Talvez seja pretenção tentar definir o nome, tamanho ou duração. Eu não quero saber qual o prazo de validade, só me entregar e sentir, com toda intensidade, essa mistura rara de sentimentos e sensações que vc provocou em mim.

Pedindo licença pro Djavan:  "Deus é pai, vai saber, se acontecer serei sua até o fim".

No mais, vou deixar o Vinícius expressar com exatidão meu desejo:

De tudo, ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure

7.9.09

A paz que trago em meu peito

Amor

Fizeram a gente acreditar que amor mesmo, amor pra valer, só acontece uma vez, geralmente antes dos 30 anos.
    Não contaram pra nós que amor não é acionado, nem chega com hora marcada.
    Fizeram a gente acreditar que cada um de nós é a metade de uma laranja, e que a vida só ganha sentido quando encontramos a outra metade.
    Não contaram que já nascemos inteiros, que ninguém em nossa vida merece carregar nas costas a responsabilidade de completar o que nos falta: a gente cresce através da gente mesmo. Se estivermos em boa companhia, é só mais agradável.
    Fizeram a gente acreditar numa fórmula chamada "dois em um": duas pessoas pensando igual, agindo igual, que era isso que funcionava. Não nos contaram que isso tem nome: anulação.
    Que só sendo indivíduos com personalidade própria é que poderemos ter uma relação saudável.
    Fizeram a gente acreditar que casamento é obrigatório.
    Fizeram a gente acreditar que os bonitos e magros são mais amados, que os que transam pouco são caretas, que os que transam muito não são confiáveis, e que sempre haverá um chinelo velho para um pé torto.
    Só não disseram que existe muito mais cabeça torta do que pé torto.
    Fizeram a gente acreditar que só há uma fórmula de ser feliz, a mesma para todos, e os que escapam dela estão condenados à marginalidade.
    Não nos contaram que estas fórmulas dão errado, frustram as pessoas, são alienantes, e que podemos tentar outras alternativas.
    Ah, também não contaram que ninguém vai contar isso tudo pra gente. Cada um vai ter que descobrir sozinho.
    E aí, quando você estiver muito apaixonado por você mesmo, vai poder ser muito feliz e se apaixonar por alguém".